Páginas

terça-feira, 28 de maio de 2013

POEMA—MALDITA RAZÃO...


*...hoje meus olhos não são mais espelhos de m'alma,* *Você não a acharia,* *Nem que a procurasse com calma,* *Porque simplesmente ela não está lá.* *...hoje se bem me conhecesse,* *Saberia que meu silêncio é de um sofrer,* *Que somente eu sei o porquê.* *...hoje se visse meus gestos,* *Um tanto incertos,* *Saberia,que eu não estava lá,* *Notaria que,era só um corpo a andar,* *Um corpo,sem rumo tomar.* *Tantas palavras que quis falar,* *Mas a razão me fez calar,* *Quantas coisas que o coração quis dizer,* *E essa maldita razão não deixou fazer.* *...hoje estou com muita raiva de mim,* *Por ser assim...*